sábado, 2 de janeiro de 2010

Fraternidade Universal

By DilerMartins




Não sei de onde me vem essa preocupação, talvez por ter nascido num primeiro de janeiro, “Dia da Fraternidade Universal” ou da Paz Universal, como alguns preferem, talvez pela minha formação cristã, talvez por ser homem livre ou por me sentir humano, independente de raça, credo ou ideal, humano, independente de bandeiras ou brasões, humano independente de hábitos ou costumes, simplesmente humano; da espécie humana,
O fato é que tenho essa preocupação: A Fraternidade Universal.
Olhando para a História fica claro que nossos dias não são os mais fraternos vividos pelo homem na Terra, diria até que estão entre os de menor fraternidade, basta olhar à fome a que são submetidas enormes parcelas da população mundial e à degradação da natureza imposta pelo modelo de desenvolvimento que adotamos.
É certo que devemos agradecer aos liberais e aos maxistas por nos terem livrado da ameaça nazi-facista, mas por outro lado faz-se necessário reconhecer que o modelo adotado no pós guerra, tem falhado na missão de construir um Mundo mais justo e Fraterno para todos.
Está claro o desafio a ser enfrentado pelo líderes mundiais neste início do século XXI: Acabar com a fome no mundo e parar de agredir o planeta.
E nós, o que podemos fazer? Duas coisas eu diria: Votar o melhor possível e nas compras, dar preferência à produtos ecologicamente corretos e politicamente justos.

A Fraternidade Universal, sonho de muitos, será realidade quando todos forem laços de uma mesma corda.

Imagem By Google

.

2 comentários:

Chica disse...

Cada um de nós pode fazer sua parte.Ainda que pareça pouco, ensinar nossas crianças a cuidar e tratar bem do planeta, tendo atitudes gentis com ele e acredito que um dia, chegaremos numa grande fraternidade ...Para tanto, nós devemos dar os exemplos...abração,tudo de bom,chica

Francisco Sobreira disse...

Caro Dilermano,
Um artigo lúcido e crítico, mas permeado pela esperança de que as coisas melhorem. Eu, meu caro, gostaria de ter essa esperança, mas sou um cético quanto a isso. No caso específico do nosso país, não vejo solução, por termos uma população composta, na sua maioria, de analfabetos e miseráveis, do que se aproveitam os políticos safados,corruptos, inescrupulosos, que formam a imensa maioria. Mas, deixando de lado esse quadro desagradável, e, embora atrasado, parabenizo-o por mais um aniversário. Um grande abraço.