sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Quando um homem e um Masson?

Segundo o Irmao John Fort Newton:

Quando ele pode olhar os rios, as montanhas, e o horizonte distante com um profundo senso de sua propria pequenez no vasto esquema das coisas, e ainda manter fe, esperanca e coragem – que sao as raizes de todas as virtudes. Quando ele sabe ter compaixao dos homens em seus sofrimentos, mais ainda, mesmo em seus pecados – sabendo que cada homem luta uma batalha dura de poucas chances. Quando ele aprendeu como fazer amigos e mante-los, e sobre tudo manter-se amigo de si mesmo. Quando ele ama flores, pode cacar um passaro sem uma arma e sente a excitacao pela lembranca de um velho prazer a muito esquecido quando ri de uma crianca. Quando nenhuma voz de sofrimento chega a seus ouvido em vao, e nenhuma mao procura sua ajuda sem resposta. Quando ele ve o bem em toda fe que ajuda o homem a cuidar das coisas divinas e ver o sentido magico da vida, seja qual for o nome que esta fe tenha. Quando ele sabe como rezar, como amar, como esperar. Quando ele tiver mantido fe nele mesmo, em seus companheiros, em seu Deus; em sua mao a espada para o mal, em seu coracao a batida de uma musica – feliz por viver, mas sem medo de morrer! Este homem achou o unico e verdadeiro segredo da Massonaria, e aquele tentando ser passado a todos no mundo.

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

O que pode criar um monstro?

Foto editado por Diler

O que pode criar um monstro? O que leva um rapaz de 22 anos a estragar a própria vida e a vida de outras duas jovens por… Nada?
Será que é índole? Talvez, a mídia? A influência da televisão? A situação social da violência? Traumas? Raiva contida? Deficiência social ou mental? Permissividade da sociedade? O que faz alguém achar que pode comprar armas de fogo, entrar na casa de uma família, fazer reféns, assustar e desalojar vizinhos, ocupar a polícia por mais de 100 horas e atirar em duas pessoas inocentes?
O rapaz deu a resposta: “ela não quis falar comigo”. A garota disse não, não quero mais falar com você. E o garoto, dizendo que ama, não aceitou um não. Seu desejo era mais importante.
Não quero ser mais um desses psicólogos de araque que infestam os programas vespertinos de televisão, que explicam tudo de maneira muito simplista e falam descontextualizadamente sobre a vida dos outros sem serem chamados. Mas ontem, enquanto não conseguia dormir pensando nesse absurdo todo, pensei que o não da menina Eloá foi o único. Faltaram muitos outros nãos nessa história toda.
Faltou um pai e uma mãe dizerem que a filha de 12 anos NÃO podia namorar um rapaz de 19. Faltou uma outra mãe dizer que NÃO iria sucumbir ao medo e ir lá tirar o filho do tal apartamento a puxões de orelha. Faltou outros pais dizerem que NÃO iriam atender ao pedido de um policial maluco de deixar a filha voltar para o cativeiro de onde, com sorte, já tinha escapado com vida. Faltou a polícia dizer NÃO ao próprio planejamento errôneo de mandar a garota de volta pra lá. Faltou o governo dizer NÃO ao sensacionalismo da imprensa em torno do caso, que permitiu que o tal sequestrador conversasse e chorasse compulsivamente em todos os programas de TV que o procuraram. Simples assim. NÃO. Pelo jeito, a única que disse não nessa história foi punida com uma bala na cabeça.
O mundo está carente de nãos. Vejo que cada vez mais os pais e professores morrem de medo de dizer não às crianças. Mulheres ainda têm medo de dizer não aos maridos ( e alguns maridos, temem dizer não às esposas ). Pessoas têm medo de dizer não aos amigos. Noras que não conseguem dizer não às sogras, chefes que não dizem não aos subordinados, gente que não consegue dizer não aos próprios desejos. E assim são criados alguns monstros. Talvez alguns não cheguem a sequestrar pessoas. Mas têm pequenos surtos quando escutam um não, seja do guarda de trânsito, do chefe, do professor, da namorada, do gerente do banco. Essas pessoas acabam crendo que abusar é normal. E é legal.
Os pais dizem, “não posso traumatizar meu filho”. E não é raro eu ver alguns tomando tapas de bebês com 1 ou 2 anos. Outros gastam o que não têm em brinquedos todos os dias e festas de aniversário faraônicas para suas crias. Sem falar nos adolescentes. Hoje em dia, é difícil ouvir alguém dizer não, você não pode bater no seu amiguinho. Não, você não vai assistir a uma novela feita para adultos. Não, você não vai fumar maconha enquanto for contra a lei. Não, você não vai passar a madrugada na rua. Não, você não vai dirigir sem carteira de habilitação. Não, você não vai beber uma cervejinha enquanto não fizer 18 anos. Não, essas pessoas não são companhias pra você. Não, hoje você não vai ganhar brinquedo ou comer salgadinho e chocolate. Não, aqui não é lugar para você ficar. Não, você não vai faltar na escola sem estar doente. Não, essa conversa não é pra você se meter. Não, com isto você não vai brincar. Não, hoje você está de castigo e não vai brincar no parque.
Crianças e adolescentes que crescem sem ouvir bons, justos e firmes NÃOS crescem sem saber que o mundo não é só deles. E aí, no primeiro não que a vida dá ( e a vida dá muitos ) surtam. Usam drogas. Compram armas. Transam sem camisinha. Batem em professores. Furam o pneu do carro do chefe. Chutam mendigos e prostitutas na rua. E daí por diante.
Não estou defendendo a volta da educação rígida e sem diálogo, pelo contrário. Acredito piamente que crianças e adolescentes tratados com um amor real, sem culpa, tranquilo e livre, conseguem perfeitamente entender uma sanção do pai ou da mãe, um tapa, um castigo, um não. Intuem que o amor dos adultos pelas crianças não é só prazer - é também responsabilidade. E quem ouve uns nãos de vez em quando também aprende a dizê-los quando é preciso. Acaba aprendendo que é importante dizer não a algumas pessoas que tentam abusar de nós de diversas maneiras, com respeito e firmeza, mesmo que sejam pessoas que nos amem. O não protege, ensina e prepara.
Por mais que seja difícil, eu tento dizer não aos seres humanos que cruzam o meu caminho quando acredito que é hora - e tento respeitar também os nãos que recebo. Nem sempre consigo, mas tento. Acredito que é aí que está a verdadeira prova de amor. E é também aí que está a solução para a violência cada vez mais desmedida e absurda dos nossos dias

Li e estou repassando por entender que o texto acima, traduz o sentimento da nação brasileira.



A autora:
Karina dos Santos Cabral


http://blog.mafaldacrescida.com.br/

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Cobras&Gatos

video
Filmagem de Cesar Al Alam Elias

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Entre Aspas (blogagem coletiva)






Li Po (poeta chinês 701 – 762)
O poeta e beberão Li Po que precisava frequentemente
de ajuda para voltar para casa, é considerado a maior poeta romântico da dinastia Tang, encontra-se entre os mais respeitados da história da literatura chinesa. Conhecido pela sua imaginação extravagante e as imagens taoistas da sua poesia, ao mesmo tempo em que pelo seu grande amor à bebida.
Consta que Li Po se afogou ao se debruçar de um barco para beijar o reflexo da Lua na água.

Bebo Sozinho Ao Luar (Li Po)

De um cântaro de vinho entre flores
Eu bebia sozinho. Ninguém comigo –
E então, erguendo minha taça, pedi à
clara Lua.
Que trouxesse minha sombra e fizesse de
nós, três.
Aí de mim, A Lua não soube beber,
E minha sombra pendeu de mim
ociosamente.
Ainda assim, por momentos tive amigos
Para me animar no fim da primavera…
Cantei. A Lua me estimulou.
Dancei. Minha sombra cambaleou atrás.
Tanto quanto soube, fomos joviais
Companheiros.
Depois fiquei bêbado, e nos perdemos
.

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Carreteiro do ARTeiro




Ingredientes:
500 gr. charque;
500 gr. arroz;
3 batatas médias em cubos grandes;
1 cebola grande picada;
1 molho de agrião cortado grosso;
2 dentes de alho amassados;
½ xícara de óleo;
Suco de ½ limão;
Sal e pimenta do reino a gosto.

Modo de preparar:
Retirar o sal do charque, refogar a cebola e o alho no óleo aquecido,
juntar o chaque fritar e colocar água, aos poucos, até que o charque
fique macio. Acrescentar o arroz, a batata e o limão, temperar e cobrir com água.
Cozer por 25 a 30 minutos. Quando o arroz estiver macio, junte o agrião, misture feche a panela e desligue o fogo. Aguarde cinco minutos e sirva.

terça-feira, 21 de outubro de 2008

Deixa o alemão passar...





China e Japão têm que iluminar seus autódromos, a exemplo de Xangai! Não foi fácil acordar as quatro da madruga, ou foi as cinco? Esse horário de Verão(ou de primavera) anda me deixando tonto…Mas valeu! Claro que preferia que o pneu furado da McLaren fosse o do Hamilton.
Mas, tudo bem , valeu, só pra ver alguém da Ferrari ordenar “deixa o Massa passar”, e nos redimir de tantos anos de “Rubinho, deixa o alemão passar”.
Claro que reconheço o grande piloto que foi o genial, Schumacher, mas é bom ver um brasileiro andar na frente naquele lendário carro vermelho!Vou torcer pro raio em Interlagos, só não me pergunte, vai dar? Pois ai teria que falar de mangueira, pirulito, motor quebrado a três volta da bandeirada…Não! Isso é passado! Agora é torcer pro raio! Torcer pro raio cair em Interlagos pelo segundo ano consecutivo. Afinal a diferença é a mesma do ano passado: Sete pontos









Enciclopédia de Aberturas de Xadres

The Encyclopaedia of Chess Openings (ECO) é uma coleção de livros e um banco de dados que descreve todas as aberturas de xadrez conhecidas. Os movimentos foram obtidos nas centenas de milhar de partidas entre mestres e de análises publicadas na revista Chess Informant desde 1966 e depois compiladas por notáveis especialistas em enxadrismo.
As aberturas são normalmente apresentadas por meio da ECO Table, uma tabela que descreve de forma concisa as melhores linhas e variantes de cada abertura.
No lugar dos tradicionais nomes de aberturas, que podem variar entre os países, a ECO utiliza um sistema de codificação único e internacional que tem sido usado por diversas publicações. A enciclopédia é divida em 5 volumes de A a E, sendo que cada um detalha um grupo específico de abertura a partir de um movimento inicial.
Volume A
· A00 a A03: Movimentos não usuais das brancas
· A04 a A09: Abertura Réti
· A10 a A39: Abertura Inglesa
· A40 a A55: Miscelânias com o peão da dama
· A56 a A79: Defesa Benoni
· A80 a A99: Defesa Holandesa
Volume B
· B00 a B01: Miscelânias de réplicas para e4
· B02 a B05: Defesa Alekhine
· B06 a B09: O grupo Ufimtsev/pirc/moderno
· B10 a B19: Defesa Caro-Kann
Volume C
· C00 a C19: Defesa francesa
· C20 a C29: Aberturas Românticas
· C30 a C39: Gambito do Rei
· C40 a C59: Aberturas Românticas (Continuação)
· C51 a C52: Gambito Evans
· C60 a C99: Abertura Ruy López
Volume D
· D00 a D09: Abertura do Peão da Dama
· D10 a D19: Defesa Eslava
· D20 a D29: Gambito da Dama Aceito
· D30 a D69: Gambito da Dama Recusado
· D70 a D79: Defesa Grunfeld e Defesa Neo-Grunfeld
Volume E
· E00 a E09: Abertura Catalã
· E12 a E19: Defesa Índia da Dama
· E20 a E59: Defesa Nimzoíndia
· E60 a E99: Defesa Índia do Rei

Dicas de Musica

que o assunto e música aqui vão algumas dicas.
Cat Power e a melhor banda que ouvi nos últimos tempos. Com sons românticos e Blues, Chan Marshall faz o tempo parar. Tive a oportunidade de -los no palco em Memphis, cidade da banda, no festival “Memphis in May”. No inicio fiquei curioso como uma banda onde a maioria das musicas são lentas e românticas iria se sair num festival de rock, mas o charme e a energia de Chan Marshall tomou a multidão no fim de tarde as margens do Mississipe.
Boa dica de música diferente do que escutamos nas FMs da vida.
Para quem quer escutar ai vai um link para os vídeos da Banda:

http://www.matadorrecords.com/cat_power/music.html

Outro músico que descobri no ano passado foi Ray LaMontangne. Estou adicionando o vídeo Shelter, minha música preferida dele.

Suas letras são bacanas, vale apenas se esforçar um pouquinhos e traduzilas (pai nem pede pra mim fazer pra ti, tá na hora de aprender um pouco de inglês pra falar com os netinhos).

Adoro a capa do disco também...

http://www.youtube.com/watch?v=03mhiCQTa1E

E isso ai pessoal, espero que gostem das dicas.

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Traduzir-se





Este poema de Ferreira Gullar, musicado por Raimundo Fagner

me fez comprar, pela primeira vez um disco do cantor,

depois virei fã!


Traduzir-se


Uma parte de mim é todo mundo:

outra parte é ninguém: fundo sem fundo.

uma parte de mim é multidão:

outra parte estranheza e solidão.

Uma parte de mim pesa, pondera:

outra parte delira.

Uma parte de mim é permanente:

outra parte se sabe de repente.

Uma parte de mim é só vertigem:

outra parte, linguagem.

Traduzir-se uma parte na outra parte

-que é uma questão de vida ou morte

-será arte?




(Raimundo Fagner - Ferreira Gullar)

LP - CBS - 1980

domingo, 19 de outubro de 2008

Poderosa

Fonte: http://www.publicdomainpictures.net/




Gosto mais do sabor da comida feita por cozinheiros e aceito que as mulheres não sejam boas na direção de carros…Mas que Deus é poderosa, isso ela é!
Rita Lee

quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Obrigado STJD

Sou gremista desde de que me entendo por gente, como se diz no sul do Brasil. Lembro da primeira vez que vi o Grêmio, no estádio do São Paulo de Rio Grande, numa noite de inverno e o campo com mais lodo que grama. Masarope defendeu um penalti naquela noite. Penalti roubado diga-se por sinal.
Lembro a primeira vez que fui ao Olimpico Monumental assistir Grêmio e Flamengo pela final do brasileiro e lembro de assistir a final da Copa do Brasil entre Grêmio e Sport do Recife, lembro que quando entrei no estádio olhei pro meu pai e disse: qualquer coisa pode acontecer em futebol mas, com essa torcida, hoje, seremos campeões! E fomos com gols de Caca e de Assis (irmao mais velho do Ronaldinho Gaúcho). Lembro do campeonato brasileiro vencido contra a Portuguesa, adversário desde fim de semana, quando eu ja tinha desistido, abandonado a TV e estava me preparando para a corneta dos meus primos colorados, então Airton desferiu o golpe mortal e nos deu o segundo titulo brasileiro.
E a batalha dos aflitos? Ah a batalha dos aflitos... ela resume o melhor sentimento tricolor. Eu estava nos Estados Unidos, ligando pro meu pai a cada 5 minutos para saber do jogo ate a noticia que o Grêmio tinha 3 jogadores expulsos e um penalti para o Náutico... ate o próximo telefonema foi mais 30 minutos. queria a confirmação de outro ano na "segundona". Quando liguei meu pai estava no meio de uma festa e eu não podia acreditar. Anderson, o garoto das categorias de base havia nos colocado de volta ao nosso lugar de direito.
Falo tudo isso para poder dizer e ser entendido: Obrigado STJD pelas absurdas suspensões de ontem a noite, pois elas como o penalti roubado no primeiro jogo que vi do Gremio, como as absurdas expulsões e penaltis nos Aflitos, eram ingrediente necessário para mais um titulo do Grêmio, o imortal tricolor!
Agora mais que nunca tenho certeza: O Grêmio será campeao brasileiro de 2008!

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Tempo...




Daqui a cinco anos você estará bem próximo de ser a mesma pessoa que é hoje, exceto por duas coisas: os livros que ler e as pessoas de quem se aproximar.


(Charles Jones)

Pato com fusilli








Pato com Fusille (4 porções)
Ingredientes:
3 xícaras de carne de pato cozido e desfiado;
3 xícaras de ervilhas frescas;
350gr. de fusille;
1 cebola média picada;
3 tomates maduros picados em cubos pequenos;
2 dentes de alho amassados;
1 xícara de suco de tomates;
50 gr. queijo parmesão ralado;
1 xícara de água quente;
½ xícara de azeite de oliva;
Sal, pimenta de reino e páprica doce a gosto;
1 garrafa de vinho tinto(eu prefiro Cabernet);
1 CD de…Eu ia dizer jazz, mas não… Use a música a seu gosto.
Preparo:
Coloque o CD a rodar…
Leve ao fogo, metade do azeite com a cebola, refogando até que fique transparente,
acrescente os tomates, o alho e os demais temperos, deixe refogar, 5 minutinhos…
Junte o pato, as ervilhas e a água. Deixe cozer por 20 a 25 minutos. Se precisar coloque mais água.
Em outra panela cozinhe o fusille, seguindo as recomendações do fabricante.
Abra o vinho e sirva-se uma taça.(para os convidados também…Claro!)
Quando a ervilha estiver macia junte o suco de tomates, espere ferver novamente e mexa até ficar consistente. Retire do fogo e junte o queijo, mexendo rapidamente.
Escorra a massa, junte o restante do azeite e finalmente o molho.
Mais uma taça de…Bem o resto todos sabem! Bom apetite!

Twilight - Crepúsculo

“Crepúsculo marca a estréia da americana Stephenie Meyer na literatura como um fenômeno do mercado editorial. Ela assina uma saga de quatro livros que se tornou uma febre ao vender mais de 5 milhões de exemplares em todo o mundo. Publicado nos Estados Unidos em 2005, Crepúsculo se manteve por 56 semanas na lista de mais vendidos do New York Times, cinco delas em primeiro lugar. Assim, chegou à marca de 2 milhões de exemplares vendidos. No Brasil, Crepúsculo já encontra fãs que acompanham os personagens desde as primeiras edições estrangeiras, com página na Internet em português, blogs e comunidades em sites de relacionamento. Meyer conquistou não apenas uma legião de leitores, mas a crítica norte-americana, o que fez de Crepúsculo um dos títulos mais comentados de 2005, quando foi lançado e obteve o título de "Livro do Ano" pela Publishers Weekly e livro da década, segundo a Amazon.com. Lua nova e Eclipse — os dois volumes que dão seqüência a esse primeiro romance —, já lançados nos Estados Unidos, fizeram trajetória semelhante: Lua nova esteve por 31 semanas em primeiro lugar na lista do New York Times e Eclipse registrou 150 mil exemplares vendidos nas primeiras 24 horas do lançamento. Breaking Dawn, traz o grand finale desse épico de amor sobrenatural e fantasia.”
Quando a Emma voltou de Michigan me pediu para comprar o primeiro livro do saga Twilight (Crepusculo no Brasil) comprei o livro pra ela e ela devorou em 3 dias o livro de mais de 500 paginas. Em seguida compramos os outros tres livros da serie: New Moon (Lua Nova), Eclipse (mesmo nome em Portugues) e Breaking Dawn (Aurora – nao sei se sera o nome que adotaram mas e a traducao do nome em ingles). A Emma terminou de ler os 4 livros, eu por motivos de tempo disponivel entre trabalhar, cuidar da janta, treinar futebol, me preparar para minhas provas na Maconaria e servir de chofer para as criancas... ainda estou no primeiro livro, quase terminando.
A historia e muito interessante e original, esqueca tudo que voce sabe sobre vampiros e leia Crepusculo, a grande estreia de Stephenie Meyer, antes que o filme baseado no livro que estreia nos Estados Unidos em 21 de Novembro chegue ao Brasil e estrague a surpresa pra voce!
De qualquer forma se quizer dar uma olhadinha do trailer do filme, aqui vai o link:

http://www.twilightthemovie.com/

Este livro e uma febre aqui nos estados unidos. Na escola a meninada coleciona broches, na rua nao e raro se ver alguem usando camisetas com frases do livro, e o maior barato ver um livro fazer tanto sucesso quanto um filme. Pena que nao se le tanto no Brasil...

Xadrez

Para acompanhar as finais do campeonato mudial de Xadrez aqui vai o link.

http://www.chessdom.com/

Jogadas sao comentadas em Ingles... (forcinha pro Cesar).

Da para ver lance a lance no tabuleiro.

Este site tambem traz outros jogos, licoes, historia e noticias dos principais compeonatos na Europa.

Bom proveito!

sábado, 11 de outubro de 2008

Afresco

Stanza della Segnatura-Iustitia
Afresco de Rafael no Vaticano





Viver é como pintar um grande painel:
Não importa quanto do mosaico já está pronto…É passado!
Tão pouco, quanta parede ainda temos pra pintar…É futuro!
Importante é a beleza da nossa gravura de hoje!

(Diler2008)

sexta-feira, 10 de outubro de 2008

O Orfanato



O Orfanato (El Orfanato)
Elenco: Belen Rueda, Fernando Cayo, Roger Princep, Geraldine Chaplin, Montserrat Carulla.
Direção: Juan Antonio Bayona
Gênero: Suspense
Distribuidora: Califórnia Filmes
Estreia: 29 de Fevereiro de 2008



Sinopse: Laura é uma mulher que retorna com sua família ao orfanato onde morou quando pequena com a intenção de abrir um abrigo para crianças excepcionais. A nova vizinhança desperta a imaginação de seu filho, que começa a se deixar levar por jogos de fantasias cada vez mais intensos. Estes jogos vão inquietando Laura até um ponto que chega a pensar que existe algo na casa que está ameaçando sua família. A escalada de estranhos acontecimentos farão com que ela busque a ajuda de parapsicólogos.



Após 50 anos em que o cinema me tem sido um dos lazeres prediletos, são nos dramas que mais tenho prazer, são nos dramas que as fragilidades humanas ficam expostas de maneira mais clara, e nossa sensibilidade é mais tocada. Quando uma obra como o ”O orfanado”, nos apresenta um drama capaz de levar a protagonista ao extremo, temos que aplaudir. Não importa se o tema é recorrente temos que aplaudir.
O filme até poderia ser acusado de tratar-se de mais uma “colcha de retalhos”, mas o trabalho do estreante diretor, Juan Antonio Baiona, soube explorar lacunas deixadas por filmes como “O sexto sentido” e “Os outros”, e conduzir uma trama cujo fio percorre a tenue fronteira entre a loucura e o sobrenatural, levando-nos a um final que antes de ser surpreendente ou inesperado, nos faz compreender a história, cena a cena, de maneira delicada até seu desenlace.
O desempenho de Belen Rueda, compondo a personagem Laura, alternando momentos que vão da realidade à fantasia, da sanidade à loucura com grande naturalidade, nos leva a sofrer a história em sua companhia, numa escalada de suspense, quase terror, até o final.
Não posso deixar de registrar a agradável presença, no elenco, de Geraldine Chaplin.

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Quando...



O homem não morre quando deixa de
viver, mas sim quando deixa de amar.


(Charles Chaplin)

quarta-feira, 8 de outubro de 2008

segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Xadrez - Dicas para iniciantes

Dicas para iniciantes:

O valor das peças : Dama 10, torres 6, bispos e cavalos 4 e peões 1, quanto ao rei, seu valor é incalculável, posto que sua perda equivale a perder o jogo, mas como peça de combate tem o valor 5.

O jogo de xadrez se desenvolve num ambiente tridimensional, FORÇA, ESPAÇO E TEMPO:
Força: É a quantidade de peças que se possui num determinado momento do jogo;
Espaço: É quanto do tabuleiro nossas peças dominam em uma posição;
Tempo: É o número de movimentos necessários para concluir uma sequência de lances;

O xadrez é um jogo que subexiste do erro, se dois contendores não errarem a partida caminha fatalmente ao empate, assim, não jogue por jogar, pense bem e só mova uma peça quando souber exatamente porque o esta fazendo;

Não subestime o oponente, jogue sempre o melhor que puder;

Não seja um catador de lances; é preferível um plano incompleto ou defeituoso, do que se deixar levar à deriva;

Cada partida possui sua própria sequência de lances, assim, não tente “copiar” partidas estudadas, isso é um erro. No entanto, é possível seguir alguns lances de abertura e de meio jogo, levando em consideração a posição em que se encontra a partida que se esta jogando;

Movimente primeiro os cavalos e os bispos, guarde as torres e a dama, faça o roque para proteger o rei, e evite peões dobrados;

Cavalos nos flancos têm o raio de ação reduzido;

Lembre que o valor das peças é teórico, dependendo da posição da partida;

Se tiver, eventualmente, número maior de peças, procure fazer trocas, desgastando o jogo e aproximando o final. Pelo mesmo raciocínio, no caso contrário, com número menor de peças, só faça trocas por um bom motivo. Por outro lado, não faça trocas sem motivo, se todas as peças forem trocadas o jogo acabara em um frustrante empate;

“Os peões são alma do Xadrez” (Philidor – Século XVII);

Mantenha seu rei protegido;

Abertura Ruy Lopes, simples, tradicional, rica em variantes: (1. P4R/…2. C3BR/…3.B5C) ou 1. P4R/…2.C3BR/…3.B4B) e faça o roque. Figura 1;
A seguir, movimente o peão da dama(uma ou duas casas) mova o outro cavalo e o outro bisto. Figura 2.
È claro que seu oponente também moveu suas peças, talvez você nem possa seguir essa sequência, mas estará desfrutando do prazer de construir algo novo e único.

Figura 1

Figura2



Fontes: Xadrez Virtual, Jogos Antigos, Jogos Tradicionais.

sábado, 4 de outubro de 2008

Xadrez - Regras

Regras

Objetivo
O objetivo final é render o rei adversário.


Posição inicial
Cada jogador começa com 16 peças, dispostas na primeira linha na seguinte sequência: torre, cavalo, bispo, rei e dama (a dama na casa da sua cor), bispo, cavalo e torre. Na segunda linha 8 peões. Note que a torre da direita deve estar em uma casa branca.
As brancas começam.




Movimentos
A cada vez um jogador faz um movimento. As peças tem movimentação diferenciada, o que faz com que tenham valores diferentes. Veja em resumo como se comportam as peças:


Rei - é a peça mais valiosa pois se capturado a partida termina; pode movimentar-se em qualquer direção, mas só uma casa; não pode se mover para uma posição em que possa ser imediatamente capturado.





Dama ou Rainha – é a peça mais poderosa; pode ir para qualquer direção e quantas casas desejar








Torre – movimenta-se na horizontal ou na vertical.


















Bispo – movimenta-se na diagonal.









Cavalo – movimenta-se uma casa na diagonal e uma casa na horizontal ou vertical, afastando-se do ponto de que partiu; é a única peça que pode pular outras no seu caminho






Peão – movimenta-se uma casa para frente (da posição inicial pode avançar duas casas de uma vez); captura avançando uma casa na diagonal (é a única peça cujo movimento na captura é diferente do movimento normal); nunca pode recuar; se chegar até a última casa de uma fila é promovido a qualquer outra peça (só não um rei).




Captura - se dá por substituição; uma peça que tomar o lugar de uma peça adversária a terá capturado; a peça capturada sai do jogo; não é permitido capturar uma peça da sua própria cor.





Xeque - quando o rei é ameaçado, está em xeque; se não tiver defesa, é xeque-mate e final de partida. A defesa contra um xeque pode ser de três tipos: mover o rei, capturar a peça que está dando xeque ou colocar uma peça entre a peça que está dando xeque e o rei (a não ser que seja um cavalo, pois ele pode saltar sobre as outras peças).

Roque
- um movimento especial em que o rei avança duas casas na direção da torre e a torre salta por cima do rei. Pode ser feito com qualquer uma das duas torres, mas para isso é preciso que nem o rei nem a torre tenham ainda se movido. Além disso, é proibido fazer roque quando se está em cheque ou uma das casas por onde o rei passará estiver sob ataque.



En passant - assim que um peão avança duas casas, se ele parar ao lado de um peão adversário, o peão adversário pode capturá-lo avançando em diagonal, como se o primeiro peão tivesse avançado apenas uma casa e não duas.




Final de jogo
Se um jogador der xeque-mate no outro, ele vence. Se um jogador não puder mover nenhuma peça mas não estiver em xeque, a partida é considerada empatada. Se um jogador não tiver material suficiente para dar xeque-mate no outro (pelo menos uma dama ou uma torre ou dois bispos ou um bispo e um cavalo ou um peão, que possa ser promovido), também é empate. Ainda é possível que, em qualquer momento do jogo, os dois jogadores de comum acordo considerem a partida como empatada. Um jogador que achar que não tem mais chance, pode abandonar a partida, dando a vitória ao adversário.Empate por Xeque contínuo ou perpétuo, ocorre quando um dos jogadores podera fazer xeque, sem mate, indefinidamente.Empate por repetição de jogadas, quando a mesma jogada se repete por três vezes, tanto por parte das brancas quanto por parte das negras. Nesse caso um dos jogadores deve pedir o empate antes que as peças sejam movimetadas novamente.




Fontes: Xadrez virtual, Jogos Antigos, Jogos Tradicionais

Mancha...




Há pessoas que transformam o sol numa simples mancha amarela, mas há aquelas que fazem de uma simples mancha amarela o próprio sol.

(Pablo Picasso)

sexta-feira, 3 de outubro de 2008

GRE-nal

Gostaria de parabenizar o co-irmao pela surtuda, digo surpreendente, vitoria no GRE-nal. Em sua homenagem posto aqui uma fotografia da comemoracao moranguinha nas ruas de Porto Alegre, digna da mais pura tradicao moranga.




Quem esta com voce na onda?

Texto de Luiz Fernando Verissimo no O Globo de 19/07/2007

"Uma comprida palavra em alemão (há uma comprida palavra em alemão para tudo) descreve a “guerra de mentira” que começou com os primeiros avanços da Alemanha nazista sobre seus vizinhos. A pouca resistência aos ataques e o entendimento com Hitler buscado pela diplomacia européia mesmo quando os tanques já rolavam se explicam pelo temor comum ao comunismo.

A ameaça maior vinha do Leste, dos bolcheviques, e da subversão interna. Só o fascismo em marcha poderia enfrentá-la. Assim, muita gente boa escolheu Hitler como o mal menor. Ou, comparado a Stalin, o mau menor. Era notório o entusiasmo pelo nazismo em setores da aristocracia inglesa, por exemplo, e dizem até que o rei Edward VIII foi obrigado a renunciar não só pelo seu amor a uma plebéia, mas pela sua simpatia à suástica. Não tardou para Hitler desiludir seus apologistas e a guerra falsa se transformar em guerra mesmo, todos contra o fascismo.

Mas, por algum tempo, os nazistas tiveram seu coro de admiradores bem-intencionados na Europa e no resto do mundo — inclusive no Brasil do Estado Novo. Mais tarde estes veriam, em retrospecto, do que exatamente tinham sido cúmplices sem saber. Na hora, aderir ao coro parecia a coisa certa.
Comunistas aqui e no resto do mundo tiveram experiência parecida: apegarem-se sem fazer perguntas ao seu ideal, que, em muitos casos, nascera da oposição ao fascismo, mesmo já sabendo que o ideal estava sendo desvirtuado pela experiência soviética, foi uma opção pela cumplicidade.

Fosse por sentimentalismo, ingenuidade ou convicção, quem continuou fiel à ortodoxia comunista foi cúmplice dos crimes do stalinismo. A coisa certa teria sido pular fora do coro, inclusive para preservar o ideal.

Se estes dois exemplos ensinam alguma coisa é isto: antes de participar de um coro, veja quem estará do seu lado. No Brasil do Lula, é grande a tentação de entrar no coro que vaia o presidente. Ao seu lado no coro poderá estar alguém que pensa como você, que também acha que Lula ainda não fez o que precisa fazer e que há muita mutreta a ser explicada e muita coisa a ser vaiada. Mas olhe os outros.

Veja onde você está metido, com quem está fazendo coro, de quem está sendo cúmplice. A companhia do que há de mais preconceituoso e reacionário no país inibe qualquer crítica ao Lula, mesmo as que ele merece.

Enfim: antes de entrar num coro, olhe em volta."

Um olhar...










As mais lindas palavras de amor,
são ditas no silêncio de um olhar.
(Leonardo da Vinci)




quinta-feira, 2 de outubro de 2008

Qualificado

Me qualifiquei aos dezoito, naquele tempo(ia dizer, “no meu tempo”, mas isso é coisa de velho…)a idade mínima pra votar era essa. O “seu Chiquinho”, o homem do cartório no distrito do Taim, me disse, vais receber convocação pra trabalhar na eleição. Sai , “mais faceiro do que pinto no lixo!”
No dia da eleição lá estava eu, secretário da mesa, distribuindo senhas(fichas de controle), organizando a fila de eleitores, fazendo a ata, me empanturrando de cordeiro mamão, que orgulho! E votando na Arena, que merda! (mas os do MDB eram todos comunistas! Diziam.) Foi minha primeira vez, não esqueço!
No fim dos anos sessenta e início dos anos setenta, a população, na grande maioria, era desinformada, não tinha a menor ideia do que estava acontecendo no país alguns até gostavam quando os milicos paravam o ônibus e pediam documentos, quem não tinha era detido, (estavam nos protegendo, caçando terroristas!). A ditadura nos tirou mais que o direito de ir e vir, "sem lenço e sem documentos", mais que o direito de eleger livremente nossos governantes, tirou mais que a liberdade de expressão, mais que as instituições democráticas, mais até, que o próprio Estado de Direito!
A ditadura nos tirou a CONSCIÊNCIA !
Só pra ter uma ideia, eu lia o Pasquim, não entendia “ufas” e ainda corria o risco de ser preso, por andar com um jornal subversivo debaixo do braço, tudo na maior inocência! Não sabia nem que existia censura! Ou tortura! Ou desaparecidos! Ou porões! Ou guerrilhas! Eu só sabia do “Milagre Brasileiro” e não entendia bem porque todo aquele crescimento não chegava no meu bolso, mas isso é outra história. Quando descobri que os caracóis dos quais o Roberto falara, eram os do Caetano no exílio, quase chorei de vergonha, mas acabei rindo…Que vingança! Imaginar a cara do sensor quando ficou sabendo!
Vieram outros tempos, a anistia, as diretas já, a constituinte, a eleição direta pra presidente, a qualificação aos dezesseis(que inveja!)…A consciência! Consciência? O Brisola perdeu! O Sapo Barbudo perdeu! Deu no que deu…Caras pintadas (mais inveja!). E veio o FHC …E finalmente o Lula! O Lula? Não, o “Lulinha Paz e Amor” !
Domingo tem eleição. Estou qualificado pra votar há 40 anos, daquele primeiro voto pra Arena ao da última eleição pra Manuela do PcdoB, vai uma distância muito grande de tempo e vida, e, fica uma lição: Votar com um único interesse; o interesse do país! Votar em paz com a consciência, sem medo de mudar, pois o direito de mudar está na essência da democracia representativa: Se aqueles eleitos anteriormente não nos representaram como deviam, trocamos!