segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Entre Aspas (blogagem coletiva)






Li Po (poeta chinês 701 – 762)
O poeta e beberão Li Po que precisava frequentemente
de ajuda para voltar para casa, é considerado a maior poeta romântico da dinastia Tang, encontra-se entre os mais respeitados da história da literatura chinesa. Conhecido pela sua imaginação extravagante e as imagens taoistas da sua poesia, ao mesmo tempo em que pelo seu grande amor à bebida.
Consta que Li Po se afogou ao se debruçar de um barco para beijar o reflexo da Lua na água.

Bebo Sozinho Ao Luar (Li Po)

De um cântaro de vinho entre flores
Eu bebia sozinho. Ninguém comigo –
E então, erguendo minha taça, pedi à
clara Lua.
Que trouxesse minha sombra e fizesse de
nós, três.
Aí de mim, A Lua não soube beber,
E minha sombra pendeu de mim
ociosamente.
Ainda assim, por momentos tive amigos
Para me animar no fim da primavera…
Cantei. A Lua me estimulou.
Dancei. Minha sombra cambaleou atrás.
Tanto quanto soube, fomos joviais
Companheiros.
Depois fiquei bêbado, e nos perdemos
.

11 comentários:

Jorge C. Reis disse...

Pela primeira vez leio um poeta da China. Tremendamente realista e romântico ao mesmo tempo.
Parabéns pela escolha.
Voltarei

acqua disse...

Grata por sua participação. Não conhecia esse poeta e gostei dos seus versos. Interessante nos permitir navegar por outras paisagens através da poesia. Bela participação...

Espaço Mensaleiro disse...

Parabéns!
Eliana Alves

César Elias disse...

Um chines Boêmio e Poeta... ou um poeta boêmio, que seja... mas com certeza uma bela descoberta.
Um brinde à poesia... e aos boêmios também! :)
...cuidarei pra não perder minha sombra, e de repemte achar minha poesia.

Anny disse...

Diler:
Que poema lindo. Adorei. Parabéns pela escolha.
Obrigada pelo comentário no Blog Linha.
http://anny-linhaozzy.blogspot.com/
Até mais.

Vanessa disse...

Tambpem não conhecia este poeta, obrigado por me apresentar. Parabéns pelo blog.


Abraço

luzdeluma disse...

Nossa, que morte trágica!! Se eu conto ninguém acredita. Literalmente morreu afogado na bebida. Impressionante que mesmo assim, tinha lucidez suficiente para escrever versos e deixar um legado reconhecido mesmo depois de tantas dinastias. Estou estupefata!! :=))) Beijus

Espaço Mensaleiro disse...

Muito obrigada por ir lá em casa.

Eliana

Flor ♥ disse...

Bom dia!!!

Bendita Blogagem Coletiva!!! Quanta beleza poética! Parabéns pelo Blog e por Li Po!

Bjs.

Flor ♥

Flor ♥ disse...

Bom dia!!!

Bendita Blogagem Coletiva!!! Quanta beleza poética! Parabéns pelo Blog e por Li Po!

Bjs.

Flor ♥

Espaço Mensaleiro disse...

Volte sempre!

Cozinha muito bem.