sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Procura-se um Autor (parte 1)



Dá pra dizer que a Internet é um retrato do nosso tempo, tal a diversidade de informação, a velocidade como as coisas acontecem, a quantidade de pessoas que lêem, escrevem, repassam, transmitem, copiam, baixam, retransmitem, e sei lá!
Acha-se qualquer coisa, basta consultar o oráculo, lá está : Resultado 1 - 10 de aproximadamente 35.800.000 (0,10 segundos), é realmente fantástico! Nesta mesma velocidade também perde-se muita coisa, são textos e imagens que se perdem de seus donos, ganham vida própria e viajam pela Rede, entram em nossos computadores, assim, sem documentos, sem autoria, sem origem, verdadeiros cães sem dono.
Conteúdos recebidos sem autoria, das duas uma, ou são spam(delete imediatamente) ou são vítimas da falta de atenção e respeito pela criação alheia.
Recebo, diariamente, muita coisa nestas condições, órfãos de pai e mãe, textos e imagens boas, muito boas, outras nem tanto…Mas não importa, a meu juízo todos merecem um Autor, e com esse pensamento estou criando a sessão “Autor Desconhecido”.
Fica aqui um pedido aos navegantes:


Salve esse conteúdo do anonimato!



A Loba


Sou doce, dengosa, polida…
Fiel como um cão, sou capaz de
te dar minha vida.
Mas olha não pise na bola,
se pular a cerca eu expludo,
comigo não rola.
Sou de me entregar de corpo
e alma a uma paixão, mas não
tente nunca enganar me coração,
amor pra mim só vale assim
sem precisar pedir perdão…
Adoro tua mão atrevida,
seu toque seu simples olhar
já me deixa despida.
Mas olha que eu não sou boba,
por trás desta pele de cabra
eu escondo uma loba.
Quando estou amando sou
mulher de um homem só,
desço do meu salto faço
o que lhe dá prazer, mas ó
meu rei a minha lei você
tem que saber…
Sou mulher de te deixar
se você me trair, e de
encontrar um novo amor só
pra me distrair. Me balança
mas não me destrói, por que
chumbo trocado não dói, eu
não como na mão de quem brinca
com a minha emoção.
Sou mulher capaz de tudo
para ver feliz, mas também
sou de cortar o mal pela raiz.
Não divido você com ninguém,
não nasci para viver em um harém.
Não me deixa saber que
será bem melhor

7 comentários:

Vanessa disse...

Eu já tinha pensado nisso tb. E ainda tem os textos com autor trocado. :-)

abraço

Kenia Mello disse...

Fico muito chateada quando recebo e-mails encaminhados com textos sem autoria ou sem que o remetente se dê ao trabalho de checar a veracidade do autor a quem o texto é atribuído. Acho isso uma irresponsabilidade tremenda!

Christian disse...

Outra coisa que me incomoda, e agora ate na imprensa e livros de Historia e a falta de referencias. Se joga um dado e nao se indica de onde o tirou. Isso alem de nao dar credito a quem merece (o autor original) tambem descredita o que foi escrito aos leitores mais criticos.
A boa noticias e que existem varios sites onde se pode consultar os autores de alguns e-mails que rondam a net e a veracidade de outros.

Luciana disse...

Olá, Dilermano,

Realmente,émuita coisa sem nome,sem data,sem nada, completamente órfãos de autor... é uma pena,pois coisas maravilhosas, completamente entregues ao mundo...

Passei pra te ver e desejar um ótimofinal de semana...

Beijos!

Lunna disse...

É um estranho paraíso, não é mesmo? Mas ainda bem que é assim e a gente pode se descobrir por entre palavras. Abraços meus e bom domingo

Lis disse...

Eu apoio esta companha!!Já li tantos textos maravilhosos sem autores!!ou por serem postados mesmo anonimamente ou por passarem adiante sem os devidos créditos!!É lindo este texto postado por vc e imagino que a autora é nordestina talvez da Bahia pela giria "meu rei" rsrsrs Sou baiana e já falei muitas vezes "ó meu rei"!! Bjus amei o texto!!

Sweet disse...

Ótima sessão!