quinta-feira, 25 de março de 2010

Bazar da Moda

By Dilermartins




Tinha oito ou nove anos, mas lembro bem do diálogo entre minha tia e a vizinha:
- Linda essa blusa, onde comprou?
- No Bazar da Moda!
Corri para o dicionário, naquele tempo não existia Google, moda: Maneira de viver e de se vestir em determinada época, bazar: Loja, espaço onde se vendem produtos.
Cheio de dúvidas perguntei: Tia, onde fica o Bazar da moda?
- Você não conhece, fica lá no centro, no Palácio do Comércio...
Piorou: Moda, bazar, palácio do comércio... Lugar onde se vendem coisas... Seria como o armazém de secos e molhados do “seu João”? Com sacos de arroz, feijão e batatas espalhado por todos os lados, aquele cheiro de banha de porco misturado ao de bacalhau, as garrafas de aguardente e os enlatados empoeirados nas prateleiras... Não! Claro que não.
Afinal palácios são lugares de reis e rainhas...
Só fui conhecer o Bazar da moda na adolescência, quando ele já estava perdendo espaço para as galerias e suas butiques. Mantenho um carinho especial pela palavra bazar. Bazar... Não soa bem? Acho que sim... Agora gosto de freqüentar o “chopping center”, versão atual e melhorada do palácio do comércio.
E a moda?
A moda mudou, sempre muda... Mas, se me pedissem um conceito, diria:
Estar na moda é viver e vestir dentro dos padrões de sua época, sem jamais perder a individualidade.

 
Imagem: Palácio do comércio
          PelotasRS
              Via Google

5 comentários:

Chica disse...

Que linda crônica! Eu também gosto de essa palavra BAZAR...Parece que nos deixa mais perto das coisas,sei lá... Esse bazar da moda era no palácio do comércio ali na pça da alfândega??? Ou na esquina da Borges??? abração,chica

Beta disse...

Olá amigo!
Para assistir ao vídeo é só ir na barra lateral à direita, em baixo e pausar a música, ok?

bj

Max Coutinho disse...

Oi Diler!

Que lindo relato de memórias! Eu também acho que a palavra Bazar seja linda!
Eu confesso não gostar muito de shoppings (ou centros comerciais, como nós dizemos em Portugal); prefiro a lojas tradicionais...andar na rua, entrar e sair de estabelecimentos...fantástico.

Obrigada por partilhares um pouco de ti connosco: é uma arte :D!

Um abraço

Lunna disse...

Gostei da crônica e da sensação que me vestiu aqui. Moda me atordoa, nunca sei dela, nem mesmo desse bazar. rs
Bacio

Francisco Sobreira disse...

Veja que coincidência, Dilermano. Eu também gosto da palavra "bazar", desde que a ouvi, quando devíamos ter, mais ou menos, a mesma idade. Quanto a moda, não gosto muito de segui-la, exceto em algumas coisas fundamentais. Um abraço e um excelente fim de semana.